A violência se esconde em sorrisos ou em silêncio?

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e close-upA violência se esconde em sorrisos ou em silêncio?
Considerando que atualmente estou mais na problemática da violência, urge a necessidade de questionar sobre o modus vivendi que pode denunciar o fenômeno da violência.
-Comecemos pela #violência escondida nos #sorrisos. Se formos a observar às vítimas da violência nas relações de intimidade, veremos que à primeira, as vítimas tendem a falar bem dos/as seus/ parceiros/as.
Não raras vezes, ouvimos mulheres a falarem tão bem dos seus companheiros, e homens a elogiarem suas companheiras, fingem que estão bem na relação, que vive uma harmonia plena, que são abençoados/as por estarem na reação em curso. Porém, é preciso não se deixar levar com estes discursos "invejáveis ", visto que, muitos dos que os proferem, fa-lo por vergonha de admitir que sofrem violência, receio de que seus amigos irão julga-los, medo de serem desacreditados, medo de sofrer retaliação. 
No caso da #violência reposrtada no #silencio,  as vítimas tendem a ser mais reservadas, optam mais por escutar, não dão sua opinião, não partilham fatos sobre sua vida, podem reportar um timidez, visto que culpabilizam-se e tem vergonha da situação em que estão a passar. Preferem não revelar que vivem numa relação "falhada", e que o seu/a companheiro/a os agride. 
Sabe-se que a violência nas relaões de intimidade comporta várias formas, nomeadamente, verbal, psicológica, física, económica e patrimonial. 
É preciso que quebremos os tabus, que falemos de tudo, que estejamos preparados para aconselhar aquele/a nosso/a amigo/a, colega a buscar ajuda, quando esta está a ser vítima. 
É preciso ter atenção que porque a violência invade todos níveis, desde a condição social, económica, nível académico, até questões de religiodidade. Em virtude dessa transversalidade da violência, ha que ter em conta que o seu #professor PHD, a sua #chefe, o seu consultor entre outros podem ser vítima de violência, sobretudo nas relações de intimidade.

#AMAVconselhos
#soucontraviolência de todos tipos e formas.

Popular posts from this blog

KULAYA: uma tradição milenar que mata as mulheres

O estupro em casa do meu cunhado-parte2

Fui abusada sexualmente: as noites sangrentas em casa do meu tio